Posted 28 February 2014, 1 month ago | 10,138 notes | reblog this post
(originally gozadorr / via holdt-ight)
Assim como o mar, tenho meus dias de fúria.
Mar, amar.  (via odeiorotulos)
Posted 28 February 2014, 1 month ago | 9,364 notes | reblog this post
(originally prosseguirei / via twititah)

parece q o tumblr sabe o q eu to sentindo e aparece as reblogagens desse sentimento de angústia

Posted 23 February 2014, 1 month ago | 1 note | reblog this post
(originally holdt-ight / via holdt-ight)
Mas chegará o instante em que me darás a mão,
não mais por solidão, mas como eu agora:
por amor.
Clarice Lispector (via cambaleei)
Posted 23 February 2014, 1 month ago | 439 notes | reblog this post
(originally dias-forjados-deactivated201403 / via diasobscuros)
A propósito, te agradeço. Não por ter me magoado e ido embora como se nada tivesse acontecido, mas por ter me ensinado a ser mais forte. E menos idiota!
Tati Bernardi.   (via s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r)
Posted 23 February 2014, 1 month ago | 33,516 notes | reblog this post
(originally manuscritoimperfeito / via diasobscuros)
Posted 13 February 2014, 2 months ago | 12,785 notes | reblog this post
(originally futuro-heroi / via futuro-heroi)
Posted 13 February 2014, 2 months ago | 1,614 notes | reblog this post
(originally blogvivamusica / via reacreditar)
Ele tem um jeito de me tocar, de caminhar com as mãos no espaço entre minha pele e a roupa, sem parar de me analisar o corpo, cheio de fome e ternura e calor. Eu sei que foi por isso que voltei, que volto, toda vez. É quando eu fico por baixo que a verdade se esfrega nos meus olhos e se infiltra pelos meus poros. Com o mapa do meu corpo, ele me prende nos meus becos e dança nas minhas avenidas. Eu não tenho saídas.
Gabito Nunes.  (via icanfixyou)
Posted 25 January 2014, 2 months ago | 5,670 notes | reblog this post
(originally ga-bi-to / via icanfixyou)
Se você tiver que chorar, chore como as crianças. Você já foi criança um dia, e uma das primeiras coisas que aprendeu em sua vida foi chorar; porque faz parte da vida. Jamais esqueça que você é livre, e que demonstrar emoções não é vergonha.
Paulo Coelho. (via o-u-t-o-n-o)
Posted 23 January 2014, 2 months ago | 45,442 notes | reblog this post
(originally romantizar / via twititah)
Posted 23 January 2014, 2 months ago | 21,574 notes | reblog this post
(originally newthom / via s-ensitivus)
Mas acontece tipo assim: lembro do seu rosto, do seu abraço, do seu cheiro, do seu olhar, do seu beijo e começo a sorrir, é assim mesmo, automático, como se tivesse uma parte do meu cérebro que me fizesse por um instante a pessoa mais feliz do mundo, mas que só você, de algum modo, fosse capaz de ativar. Eu sei, é lindo. Mas logo em… seguida, quando penso em quão longe você está sinto-me despedaçar por inteira. Sabe a sensação de arrancar um doce de uma criança? Pois é, sou essa criança. E dói. Uma dor cujo único remédio é a sua presença. Então sigo assim, penso em você, sorrio, sofro e rezo, peço pra Deus cuidar da gente, amenizar essa dor e trazer logo a minha cura. Caio Fernando Abreu

visitantes

O importante é ,
SORRIR, mesmo sem motivos, mesmo sem vontade
theme por affectingyou; com detalhes de decepcionar, abismopoetico e desesperancoso.